Depois de 59 dias, Câmara de Fazenda Rio Grande terá primeira sessão 5/5 (1)

Antenado – Política de Fazenda Rio Grande e nacional

Fim de longo recesso

O mar não está para peixe no Brasil, mas para os vereadores de Fazenda Rio Grande, anda sobrando bastante tempo até para uma excelente pescaria. Daquelas que não precisa ter pressa nenhuma. Enquanto o trabalhador fazendense, como todo brasileiro, tem 30 dias de férias a dos vereadores dura 59 dias. É mole? A última sessão na Câmara Municipal de Fazenda Rio Grande ocorreu no dia 20 de dezembro de 2017 e a primeira deste ano está agendada apenas para a próxima segunda-feira, dia 19 de fevereiro.

Fim do longo recesso II

Vale lembrar que boa parte dos Legislativos do País já retornaram às atividades. A Câmara dos Deputados, em Brasília, maior órgão do Legislativo Nacional, com 513 parlamentares, retornou, mesmo que de forma protocolar, no dia 02 de fevereiro. A Câmara Municipal de Curitiba voltou aos trabalhos no dia 05 de fevereiro, após longos 46 dias. Em Campo Largo, onde o município fazendense busca socorro todos os dias para levar pacientes e gestantes da cidade, a Câmara local já realizou duas sessões em 2018. Na vizinha São José dos Pinhais, os vereadores realizaram a primeira reunião ordinária no dia 06 de fevereiro.

Enfim, a vereança dos municípios vizinhos e de tantas outras cidades brasileiras, já se reuniram para tratar dos assuntos pertinentes ao cargo, menos em Fazenda Rio Grande. E o porquê disso? Existe alguma explicação plausível? Será que os problemas da cidade estão todos resolvidos e não apareceu nenhuma nova demanda nesses 60 dias em que pudessem ser solucionadas com aprovação de projetos e requerimentos na Casa durante as sessões?

Ah, mas o salário desses dois meses longe do plenário, estão bem garantidos no bolso.

Protesto na avenida

O desfile das escolas de samba nesse ano foi marcado por imagens de protestos e que retratam a realidade da política e da situação no País. Na RMC, em Curitiba, a campeã Mocidade Azul levou para a avenida um grito contra a falta de ética e a corrupção com o tema “Quem canta seus males espanta. Onde está o dinheiro? Quem foi o gato que comeu?” Entre as alas, um dos integrantes carregava uma mala carregada de dinheiro, em alusão ao ex-deputado Rodrigo Rocha Loures, flagrado carregando meio milhão de reais de propina, segundo investigações da Polícia Federal. O agora ex-deputado e ex-queridinho do presidente Michel Temer também foi lembrado, como outros que praticaram maus feitos, nos desfiles da Beija-Flor e do Acadêmicos do Tuiuti, campeã e vice do carnaval carioca. Se até os carnavalescos que ajudam a maquiar a realidade brasileira estão demonstrando que os brasileiros estão cansados de serem roubados e enganados pelos políticos que enriquecem as nossas custas, imagina nós, os eleitores que devemos pensar seriamente nos destinos desse país?  O Carnaval já passou, a festa na avenida terminou. A expectativa agora é que em outubro, quando chegar o momento das Eleições 2018, o povo realmente dê um sonoro recado aos políticos nas urnas, não reelegendo nenhum parlamentar e filtrando bem o histórico daqueles que pretendem sinceramente trabalhar em prol da melhoria da população para que não sejam escrachados nos próximos carnavais.

 

Deixe sua avaliação

- Anuncie Aqui -