Atlético-PR leva nova virada e se complica na Copa do Brasil

O que era encantamento virou pó.  O Atlético Paranaense que arrancou elogios por seu futebol envolvente, de troca de passes, inversões de jogo e boa compactação defensiva já não encanta mais. Na noite desta quarta-feira (16/05), na Arena da Baixada pela Copa do Brasil, o Furacão conseguiu sair na frente do placar, mas como ocorrera na última rodada do Brasileirão, diante do Atlético Mineiro, tomou a virada de outro rival de Minas, o Cruzeiro por 2 a 1 e se complicou na competição, pois vai precisar vencer o jogo da volta em Minas Gerais, no dia 16 de julho. Vitória, aliás, que o time não conhece há sete jogos.

Carleto, de falta aos 41´abriu o placar na Arena o que mantinha o Atlético em vantagem até os 34´ do segundo tempo, quando Henrique arriscou de longe, a bola tocou em Thiago Heleno e enganou Santos. A virada veio aos 47´, quando Raniel foi lançado na frente, fez a volta na marcação de José Ivaldo, ganhou na corrida e teve frieza para tocar para o fundo da rede na saída de Santos.

Lance a lance

A partida começou com leve domínio do Cruzeiro, nos primeiros cinco minutos, mas sem muita efetividade. O Furacão equilibrou rápido a partida e criou a melhor chance com Rossetto, aos 12 minutos. Ele fez a finta e arriscou de fora da área. Fábio colocou com um tapa para escanteio. Depois, o Atlético assustou com um chute de fora da área de Carletto em que Fábio defendeu.

A resposta do Cruzeiro veio dois minutos depois. Robinho recebeu cruzamento da esquerda e desviou por cima do gol. Aos 34’, Robinho bateu forte de fora da área e Santos fez grande defesa.

Cinco minutos depois, uma confusão. Thiago Heleno cabeceou após cobrança de escanteio e a bola tocou no braço do defensor e saiu. O árbitro não ia marcando nem o escanteio, mas depois de reclamação dos jogadores atleticanos ele voltou atrás marcou o tiro de canto.

Aos 41’, o Furacão abriu o placar. Raphael Veiga sofreu falta e Carleto foi para a cobrança… Era de longe e o camisa 26 mandou a bomba no canto esquerdo de Fábio. Um golaço para abrir o placar!

Aos 44’, Carleto cobrou falta da direita, Thiago Heleno mandou de cabeça para o meio da área e José Ivaldo completou para o gol. A arbitragem marcou o impedimento do zagueiro atleticano.

No último minuto da primeira parte, De Arrascaeta fez boa jogada, invadiu a área e bateu em cima do goleiro Santos, que saiu bem para fazer a defesa.

A segunda etapa começou com o Furacão em cima. Depois de boa troca de passes, Pavez recebeu no bico da grande área e bateu para o gol. Fábio colocou para escanteio. Na cobrança, Pablo desviou de cabeça e a bola saiu ao lado.

Sassá teve chance aos 12’. Ele recebeu cruzamento e tocou de cabeça por cima. Depois, Raphael Veiga que jogava bem, mesmo com posicionamento aberto pela direita – ele rende mais centralizado – se machucou ao cair sobre o ombro e precisou ser substituído. A saída de Veiga fez o Atlético perder a referência técnica, o seu poder de organização e de criação de jogadas de contra-ataque. O Cruzeiro passou a dominar as ações ofensivas, mesmo sem tanta infiltração. Ainda assim, arriscando de longe, conseguiu empatar o jogo.  Aos 34’, Henrique soltou a bomba, a bola desviou em Thiago Heleno e foi fora do alcance de Santos: 1 a 1. Já nos acréscimos, Raniel marcou o gol da vitória, de virada do time cruzeirense que mostrou até o final que é um adversário difícil de ser superado e não se iludiu com o esquema “encantador” do adversário.

“Não dá para entender o que acontece?! Tivemos um primeiro tempo muito bom parecido com o Atlético-MG, no segundo deixamos escapar a vitória e perdemos nos próprios erros”, sintetizou o goleiro Santos, após o jogo.

Ficha técnica: Atlético Paranaense 1×2 Cruzeiro

Copa do Brasil 2018: Oitavas de final – Jogo de ida

Data: 16/05/2018 [quarta-feira]

Local: Arena da Baixada, em Curitiba

Público pagante: 10.327

Público total: 11.455

Renda: R$199.500,00

 

Árbitro: Pericles Bassols Pegado Cortez (PE, CBF)

Auxiliares: Clovis Amaral da Silva (PE, CBF) e Cleberson do Nascimento Leite (PE, CBF)

Quarto árbitro: Gilberto Rodrigues Castro Junior (PE, CBF)

Atlético Paranaense: Santos; Esteban Pavez, José Ivaldo e Thiago Heleno; Rossetto, Camacho, Lucho González (Bruno Guimarães, aos 29’ do 2’ºT) e Carleto; Raphael Veiga (Matheus Anjos, aos 21’ do 2ºT), Pablo e Bergson (Marcinho, aos 42’ do 2ºT).

Técnico: Fernando Diniz

Cruzeiro: Fabio; Lucas Romero, Dede, Léo e Egídio; Lucas Silva, Robinho (Mancuello, aos 28’ do 2ºT) e Henrique; Rafinha, De Arrascaeta (Rafael Sóbis, aos 33’ do 2ºT) e Sassá (Raniel, aos 18’ do 2ºT).

Técnico: Mano Menezes

Gols: Carleto (ATL), aos 41’ do 1º tempo.Henrique, aos 34’ do 2º tempo, e Raniel, aos 47’ do 2º tempo (CRU).

Cartão amarelo: Egídio (CRU), Bergson, Camacho (ATL)

 

Deixe sua avaliação

- Anuncie Aqui -