Nutrição e saúde

A alimentação adequada é aquela em que se combinam alimentos variados de modo a se fornecer quantidade adequada de cada nutriente, para se manter ou melhorar a saúde do organismo. Costumamos dividir os nutrientes em categorias conforme sua função, o que em grande parte é determinado por sua constituição molecular. Vamos falar um pouco, de modo informal, sobre esses grupos de nutrientes.

Proteínas. São os “tijolos” para construção dos músculos. São compostas por elementos menores, chamados aminoácidos. Os aminoácidos ditos “não essenciais” são aqueles que o organismo consegue “fabricar” a partir de outros; os “essenciais” precisam ser ingeridos prontos. Mas todos são necessários, porque a formação muscular funciona como uma linha de produção industrial que não pára e não acumula estoque: se faltar variedade de aminoácidos, todo o restante deles é eliminado, não utilizado. Daí a necessidade de variedade e qualidade de fontes de proteína.

Ácidos graxos (gorduras). Além de fontes de energia muito mais calóricas do que açúcares e amidos, os ácidos graxos desempenham funções primordiais, como a proteção de órgãos internos, a constituição de membranas celulares, etc. Há uma linha da ciência que estuda a evolução da espécie humana que aponta o início do consumo de carne como o marco nutricional que tornou possível a evolução cognitiva da espécie: teriam sido os ácidos graxos de cadeia longa (gorduras de moléculas maiores, mais pesadas) de origem animal que possibilitaram o desenvolvimento do cérebro humano.

Fibras. Quando falamos de ruminantes, falamos em deferente ácida (FDA), fonte de energia por meio da microbiota do rúmen, e fibra detergente neutra (FDN), com função mecânica e limitante do consumo. É mais complexo o assunto quando tratamos de monogástricos (cães, gatos, peixes e, até, nós mesmos). Existem as chamadas vibras solúveis (os açúcares e os amidos, como do arroz e da batata), que são fonte de energia rapidamente disponível, e as fibras insolúveis (estruturais, como a celulose e a hemicelulose da folha da alface, que se sabe que não digerimos), que têm função principalmente mecânica de estimular a passagem dos alimentos pelo tubo digestivo.

Minerais. Elementos químicos inorgânicos com função crucial na composição de células e tecidos orgânicos, enzimas e outras substâncias, além de participarem de funções específicas impressionantes, como a chamada “placa de cálcio”, que permite que estímulos neurológicos efetuem contrações musculares.

Vitaminas. São substâncias de origem variada, essenciais ao organismo, embora em quantidades minúsculas. As ações que desempenham são classificadas por letras: A, B, C, etc., e seus subgrupos, como B1, B2… Há hidrossolúveis (solúveis em água) e lipossolúveis (solúveis em gorduras), sendo que estas preocupam se liberadas nem quantidade no organismo quando de emagrecimentos rápidos.

Após conversaremos, conforme prometido, sobre como se adequar o ambiente para proteger a saúde no inverno, falaremos mais sobre nutrição, alimentação e como melhorar a performance funcional e a beleza de animais.

Deixe sua avaliação

- Anuncie Aqui -