Justiça determina prisão preventiva para 10 investigados na Operação Rádio Patrulha

A pedido do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná, o Juízo da 13ª Vara Criminal de Curitiba determinou, no início da noite desta sexta-feira, 14 de setembro, a conversão da prisão temporária em preventiva para 10 dos 15 presos na Operação Rádio Patrulha. Deflagrada na última terça-feira, 11 de setembro, a operação apura indícios de direcionamento de licitação para beneficiar empresários e pagamento de propina a agentes públicos, além de lavagem de dinheiro e obstrução da Justiça, no programa Patrulha do Campo, do Governo do Estado do Paraná, no período 2012 a 2014.

Tiveram a prisão preventiva decretada o ex-governador do Paraná Beto Richa, seu irmão José Richa Filho (Pepe Richa), Ezequias Moreira Rodrigues, Luiz Abi Antoun, Deonilson Roldo, Celso Antônio Frare, Edson Luiz Casagrande, Tulio Marcelo Dening Bandeira, Aldair Wanderlei Petry (Neco) e Dirceu Pupo Ferreira. Não foi pedida a conversão de prisão da esposa do ex-governador e ex-secretária estadual e de outras quatro pessoas.

Deixe sua avaliação

- Anuncie Aqui -