Caminho de Pedras

Esperança e dificuldades andam juntas. O Brasil abraçou as teses da esquerda, viveu um grande porre e agora está de ressaca. Uma oportunidade de reconstrução de um país é coisa rara, precisa ser aproveitada.

Todo o entusiasmo com a queda da esquerda do poder vai ter vida curta. O Brasil está destroçado. A reconstrução vai ser longa e trabalhosa. Tudo precisa ser refeito. Essa é a dura realidade. Os Estados Unidos têm os furacões, nós os sonhos tresloucados de crescimento sem trabalho. Os dois deixam rastros de destruição.

Trabalhar de resseca vai ser difícil, mais passa. Uma nova rigidez vai inundar o Brasil. Uma vontade de reconstruir tudo de novo. Uma esperança de construir um país melhor. Quem imaginaria que à queda do regime militar em 1986 se seguiria a esse desastre das esquerdas. As esperanças eram enormes. As ilusões dominaram. Promessas fáceis são engodos.

Ficou a esperança da reconstrução. O trabalho rejuvenesce. Cria a satisfação na autorrealização de ver os sonhos realizados. É importante alcançar que a felicidade é interna, nasce no esforço de construção do próximo. A felicidade na posse de bens materiais é um engodo. Faz parte da prisão do método materialista. É muito difícil se libertar dessa prisão. Só uma grande dor tem essa capacidade.

A renovação vai ser profunda. A desigualdade vai diminuir. O estado vai encolher. As iniciativas privadas vão crescer. A energia despertada será enorme. A direção dessa construção a grande dúvida.

É preciso alcançar a liberdade, a igualdade e a fraternidade, lema da Revolução Francesa. A estrutura atual está contaminada ainda dos valores do escravagismo da época imperial. Uma pequena elite, que não trabalha, domina os recursos do estado em seu proveito. Os cargos da cúpula são disputados a tapa. O que o PT fez foi se aboletar no poder e desfrutar das regalias de um sistema escravocrata. Para isso corrompeu ainda mais as elites. O que colocou e evidência o funcionamento da política brasileira.

A queda dessa elite escravocrata já começou. Vai ser muito rápida. Muitos não conseguiram se reeleger. Mais só foi o começo. Agora a perda dos cargos públicos de quem não trabalha vai assustar os brasileiros. A quantidade e a extensão dos privilégios vão chocar. O acúmulo das aposentadorias vai ser um deles. Como pode existir pessoas que têm várias aposentadorias de alto valor, enquanto a maioria dos brasileiros mal consegue a aposentadoria de um salário mínimo?

Toda essa conversa que o sistema de aposentadoria está quebrado é só uma forma de dizer que poucas pessoas acumulam grandes privilégios. A desculpa era sempre a mesma: aumentar os impostos para uma pequena elite desfrutar.

Os brasileiros vão ficar chocados e alegres, pois finalmente poderão construir uma sociedade mais justa, mais republicana.  De certa maneira estamos vivendo uma revolução francesa. Os privilégios da elite serão abolidos. Os nobres brasileiros, os funcionários públicos e políticos, perderão os seus privilégios e terão que viver como um cidadão comum. O Estatuto do Funcionário Público e a CLT serão fundidos em um único sistema para todos os brasileiros.

Os funcionários públicos deixaram de ser cabos eleitorais dos políticos no poder. Precisarão trabalhar para justificar os seus salários. Os bons funcionários serão reconhecidos, os maus serão identificados. Uma renovação vai acontecer no serviço público.

Mas as grandes transformações vão ocorrer no setor privado. Finalmente ele poderá trabalhar livre das amarras da burocratização. Com um governo mais leve será muito mais fácil trabalhar. O Brasil vai se renovar totalmente em pouco tempo. Uma grande revolução está à caminho.

Deixe sua avaliação

- Anuncie Aqui -